Brasil

Saturday, July 29, 2006

Melhor (es) poema (s) do mês de julho de 2006

Prezado (a) poeta:
Com grande satisfação divulgamos os vencedores do "POEMA DO MÊS" de julho de 2006, que estará concorrendo ao Prêmio de melhor poema, em português,do ano de 2006 e será publicado na coletânea Letras de Babel 3.


CULPA

Meus passeios

poluem o mundo.

Para ler,

gasto a luz de cidades inundadas.

A geladeira

esburaca a camada de ozônio.

Banhos longos

desertificam o planeta.

Para comer, beber, viver

gasto dinheiro (que nem ganhei).

Meus poemas

derrubam árvores.

Poema de Fabio Rocha - Brasil

MAGIA


Poema de Arlinda Lamêgo - Brasil

Brincar de renascer é prefaciar o infinito
É fazer a terra árida implodir seus frutos,
Como se fora um anjo, o tudo prometido.
É absurdo a soçobrar, multiplicar o tudo.

E, o nada, milagreiro, sem medo de ser.
As rosas que trago têm cheiro de mato,
Caminho sem olhar pra trás, a envolver
A superfície de cada manhã, maior trato.

Teu cheiro de mar está em mim diluído.
Tecendo o calor em noite de tormenta,
Em chispa, centelha, sem nenhum ruído.

Minh’alma atormentada, aqui silencia,
E tua ausência é o mundo que construí
E te trago nas entranhas, é plena magia.




ENQUANTO EXISTO, RESISTO

Poema de Antonio Miranda, Brasil

para Inês Sarmet


Aves migratórias,
nuvens errantes,
pensamentos vadios.

Flores nascem e fenecem
e amores padecem
na separação.

Estou só e a cama
é tanto maior
na desolação.

Entretanto, durmo
e sonho e amanheço,
não desisto

e recomeço.

0 Comments:

Post a Comment

<< Home